domingo, 28 de outubro de 2018

Cantiga de Santa Maria 113: “Pela razão hei de obedecer”

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Esta história é a da grande pedra que caiu do morro sobre a igreja de Montserrat, e que desceu diretamente para arrebentar a igreja toda e o mosteiro.

Eu acho muito razoável que as pedras obedeçam à Mãe do Rei porque, quando Ele morreu por nós as pedras se racharam.

Este é um grande milagre que eu ouvi contar.

Que em Monserrat fez a Virgem, e ainda hoje se vê bem ali, com uma pedra que mexia e que chegou a cair.

E caiu de tal jeito que, se Deus a deixasse prosseguir, poderia destruir toda a igreja.

Mas, Deus não quis sofrer isto para defender a igreja de sua Mãe gloriosa, a Rainha espiritual.

Por isso desviou a pedra de tal maneira que não pudesse fazer mal e a fez descer tão devagar que depois não pôde mais girar.

Mas, os monges, que nessa hora cantavam a missa da Mãe de Deus, quando ouviram o grande ruído, disseram:

“Senhor, somos vossos, e não nos deixeis perecer nem morrer de mala morte”.

Dizendo isto, saíram da igreja e viram o rochedo ali onde tinha caído, porque Deus o tinha desviado e começaram a abençoar a Deus e à Virgem e seu poder.

Esse milagre tão grande, que Deus fez, em honra à muito distinguida, sua Mãe gloriosa, podem vê-lo todos aqueles que vão a Montserrat, e nisto encontram gáudio, e por própria iniciativa depositam ali suas oferendas.



(Fonte: Alfonso X, o Sábio. Cantigas de Santa María, Cantiga 113 : “Por razon tenno d' obedecer”




Vídeo: Cantiga de Santa Maria 113







CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CIDADE SIMBOLOS
AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

domingo, 14 de outubro de 2018

O caos dos rochedos do « Pas de Soucy »

“Vou ganhar essa!”, fanfarronava grosso o Maligno
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs







Nas gargantas do rio Tarn, uma acumulação imensa de rochedos parece querer barrar a passagem do rio.

Esta curiosa formação geológica tal vez esteja na origem da lenda do “Soussich do Tarn”, ou do “Caos do Pas de Souci”.

Após sua miraculosa cura na fonte de Burle, a princesa Santa Enimia projetou construir no local uma casa de oração para freiras.

Hélas! Como acontece com freqüência, Belzebu ouviu falar do projeto, e entrou no mais profundo desacordo.

Para pior, o diabo via que o prédio começava a subir.

Então, aproveitou a noite para destruí-lo com um só sopro.

A garganta do rio Tarn
Quando o vento uivava ele aplicava todas suas forças para derrubar a obra sem que os pedreiros percebessem a sua pérfida intervenção.

A jovem princesa era ajudada por alguns aldeões que de cada vez reconstruiam os fundamentos do mosteiro.

Mas, na noite, com toda a potência de seu bafo maldito, o diabo o jogava por terra.

A princesa ordenou que a obra fosse vigiada pelos próprios aldeões durante a noite.

Mas, como a jornada de trabalho era dura, vários deles estavam muito cansados e, no fim, dormiam.

Belzebu sempre à espreita, toda semana regozijava-se estragando o “trabalinho” dos homens enquanto estes se davam ao sono…

A princesa Santa Enímia
Os aldeões estavam desesperados. E nem mesmo as palavras de encorajamento da princesa eram suficientes.

‒ “Vou ganhar essa!”, fanfarronava grosso o Maligno no fundo do inferno.

A princesa voltou a sua gruta para refletir.

‒ “O que é que eu posso fazer contra um ser tão poderoso?” perguntava-se ela.

‒ “Combate-lo”, sussurrou uma voz nas suas costas.

‒ “Mas como?. Eu não tenho armas!”, respondeu a filha do rei levantando os olhos em direção à voz.

‒ “Sim, Vossa Alteza tem a maior das armas.”

‒ “O quê ...”

‒ “Por certo, diante do Maligno, Vossa Alteza terá necessidade de um pouco de ajuda”, acrescentou a voz.

Ela ergueu a cabeça e viu a ... Santo Hilário.

Com o reforço do santo, o combate contra o ser do tridente não foi tão desigual.

Os dois engajaram uma luta gigantesca contra Belzebu.

A "Roque Sourde"
Não dá para traduzir em palavras o horror daquela batalha.

Conta-se que certa vez Santa Enimia perseguida por Satanás pulou de pedra em pedra com ágeis passos.

Vendo-a, os rochedos tocados pelas suas orações, tiveram pena dela e conspiraram contra o tirano dos infernos.

A fantástica disposição do “Pas de Souci” não seria outra coisa senão o resultado desse combate gigante até que a enorme pedra conhecida como “Roque Sourde” despencou e esmagou o diabo com sua massa.

Diz-se, porém, que o pai da mentira conseguiu escapulir de baixo da pedra, e jurou voltar...

Outros garantem que ele não está longe, pois sua cauda ficou pressa sob o rochedo.

Por isso mesmo é melhor não se aproximar demais dele...


CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CIDADE SIMBOLOS
AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS