segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

A flor de sangue do castelo de Ringelstein

Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Anselmo foi um bandido um pouco estranho. Ele decidiu encher-se facilmente de dinheiro sequestrando os viajantes pelas estradas.

Num dia de forte nevoeiro, passava um pobre e velho lenhador, fatigado após uma dura jornada de trabalho.

O velho não percebeu o malandro que se aproximava sorrateiramente.

E foi rapidamente dominado, amarrado e arrastado até um esconderijo secreto.

No dia seguinte, a família do lenhador recebeu uma carta explicando que o pobre velho, mencionado como o “chefe da família”, seria libertado em troca de um resgate.

E a família gritou, mas gritou, gritou e gritou de alegria, pois assim se libertaria do ancião, cuja herança seria então dividida.

Anselmo aguardou alguns dias o pagamento em troca da vítima do sequestro.

Mas, nada!

Esse pobre ancião não interessava a ninguém. Além do mais, precisava alimentá-lo.

O lenhador chorava, gemia, rezava e impedia o bandido e seus asseclas de dormir.



Anselmo decidiu mudar a estratégia e disse:

– “Um chefe de família estropiado será um peso financeiro para a sua família. Da próxima vez, os habitantes da aldeia vão pensar duas vezes antes de me contrariar”.

– “O que vamos lhe fazer?” – murmurou um bandido que não tinha dentes.

– “Vou lhes devolver o pai com uma mão a menos!”

De manhã bem cedinho, no meio de uma bruma nunca antes vista, o lenhador foi maltratado por Anselmo e seus cúmplices.

O sangue do infeliz espalhou-se pelo chão e foi regar uma arvorezinha.

Desde aquele dia terrível, todos os anos, a árvore dá no mês de março uma flor da cor de sangue, para lembrar aos homens o aniversário da loucura assassina e a cupidez de ganhos a qualquer preço.

Viajante, se tu vais ao castelo no início da primavera, lembra-te do pobre lenhador, reflete palavras de sabedoria, e oferece uma oração pelo eterno repouso de sua alma!

Na região do castelo se diz que o fantasma de Anselmo ainda tenta sequestrar e cobrar resgate dos turistas.



CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CIDADE SIMBOLOS
AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

2 comentários:

  1. pq coraçao nao se ve.
    orando,ate,por aqueles que vivem na mais pura razao.
    pq uma flor sempre sera uma flor.kkkkkkk

    ResponderExcluir