quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A princesa do castelo de Wangenbourg

Ruínas de Wangenbourg
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Num tempo longínquo morava no poderoso castelo de Wangenbourg, na Alsácia, um senhor muito encrenqueiro e de moralidade bastante duvidosa.

Ruínas de Wangenbourg
Voltando com seus companheiros de armas de uma expedição guerreira, ele viu uma bela donzela num prado florido.

Com ramalhetes de margaridas nos braços, ela resplandecia de beleza.

O senhor quis seduzi-la de todas as formas.


Mas, além de bela, nossa princesa fora abençoada no nascimento por um poderoso anjo, e tudo nela era maravilhoso.

São Gabriel, Évora
Numerosos pretendentes quiseram conquistá-la, mas como era muito jovem para casar, recusou todos os candidatos.

O senhor de Wangenbourg aplicou todos seus jeitos para conquistar essa torre invencível...

E eis que, num belo dia, ela aceitou o pedido!

Ele lhe prometeu só amar a ela e não desejar outros corações.

E eles foram felizes, pois malgrado as tentações da vida do grande senhor, ele respeitou a promessa.

Mas certo dia ele começou a olhar para outras moças, e recomeçou no “mentiroso” a vida de outrora.

Nossa princesa ficou fortemente magoada e até desesperada. E decidiu lavar-se da afronta na cachoeira de Nideck, que ela conhecia bem.

Mas Wangenbourg distava muito de Nideck para uma delicada princesa ir a pé.

Cachoeira de Nideck
No caminho, ela se feriu várias vezes nos espinheiros, nas pedras pontudas e nos galhos secos.

Ela achava que uma chama do inferno saía do chão para queimá-la. Além do mais, a densa floresta deixava passar muita pouca luz.

Quando ela chegou no alto da cachoeira, estava esgotada e suas pernas não conseguiam mantê-la em pé. E a infeliz princesa ensangüentada caiu no vazio.

Tendo seu bom anjo visto todas as suas infelicidades, chegou como um raio e a segurou na queda fatídica.

Mas, o anjo disse para si mesmo:

̶  O que farei com uma beleza desesperada, sempre procurada pelos homens?

E então lhe veio uma idéia luminosa:

̶  Vou levá-la para o Céu.

Desde aquele dia, os habitantes da região dizem que uma sombra branca dança sobre a espuma da cachoeira avisando que uma tempestade está perto.



CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS ORAÇÕES CIDADE SIMBOLOS
AS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISORAÇÕES E MILAGRES MEDIEVAISA CIDADE MEDIEVALJOIAS E SIMBOLOS MEDIEVAIS

9 comentários:

  1. A Idade Média é, de todas as épocas do passado do Homem, a mais propícia a lendas e mistérios.O que concluir desta narração ? A beleza das quedas de água referidas ? Facilmente a ciência explica que a violência da queda da água em fundo solidamente pedregoso provoca,na atmosfera ,a subida de pequenas gotas de água.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ciência pode mesmo explicar fatos como esse, mas também os vidrados em provar tudo cientificamente, deveriam aceitar que nem tudo pode ser explicado com a lógica mundana.

      Excluir
  2. A graça estava nesse fato, de cobrirem as duvidas do mundo, as perguntas sem resposta com lendas e contos. Que época magica!

    ResponderExcluir
  3. Adoro lendas e contos medievais. Amei!!!

    G. AGUIAR

    ResponderExcluir
  4. tbm gosto de historias medievais , gostei mto bom

    ResponderExcluir